locais no algarve

O Algarve é algo natural


Quando se fala do Algarve, a primeira coisa de que nos lembramos é, sem dúvida, da praia, a seguir do sol e depois da comida. No entanto, esta região portuguesa, que já foi considerada um reino de nome próprio (os reis portugueses eram denominados como reis de Portugal e dos Algarves), tem mais para revelar a quem se dedica à descoberta.

Além das praias, há todo um Algarve natural que espera por si… Desde as serranias que servem de fronteira natural entre o Alentejo e esta região, passando pelas falésias e escarpas que resistem ao Oceano, até aos sapais do Guadiana e o sistema lagunar da Ria Formosa.

Serras de Monchique, Espinhaço de Cão e Caldeirão

As serras de Monchique, Espinhaço de Cão e Caldeirão são uma fronteira natural e uma barreira protetora dos ventos frios do Norte, tornando o clima desta região como algo único no nosso país. No entanto, estas elevações não poderiam ser tão distintas.

Enquanto que a oeste, Monchique surge com uma flora única, com ribeiras que escorrem pelas escarpas e onde árvores como o medronheiro, os carvalhos, os eucaliptos e os castanheiros crescem nos cumes.

Seguindo para Este, encontramos a Serra de Espinhaço de Cão, constituída por uma cadeia de cerros cheios de medronheiros e eucaliptos, pontuada por pequenos e férteis vales, onde dormem pequenas e únicas aldeias.

A partir da ribeira de Odelouca, surgem planaltos agrestes, com montes ondulados e vales profundos, onde o verde das florestas se funde com o dourado dos campos de trigo e cevada, e com os matos escuros de esteva e rosmaninho… Surge a Serra do Caldeirão, a maior cordilheira algarvia.

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

76 mil hectares recortados por falésias, praias e dunas, e compostos por colinas que se estendem até à Serra de Espinhaço de Cão, albergam 750 plantas e 200 espécies de aves. Cem destas espécies de vegetação são endémicas e 460 pertencem à flora marinha.

A nível de fauna, o Parque Natural conta com uma população bastante variada: lontras, raposas, javalis, texugos, gatos-bravos, lince ibérico, assim como garças, cegonhas, guarda-rios, galinhas de água, corvos, gaivotas, gralhas e aves de rapina.

Graças à proteção que estas espécies beneficiam neste espaço, qualquer caminhante pode-se cruzar com algum destes animais. Já se imaginou estar numa das praias que compõem os 80 km de costa algarvia dentro do Parque e ver uma águia pesqueira a sobrevoar o sítio onde está? Seja em Odeceixe, Monte Clérigos ou Burgau?

Ria Formosa

Único e mutante, estes são dois adjetivos que caracterizam perfeitamente este sistema lagunar que, graças ao movimento de ventos, correntes e marés, está em contínua mutação. Um ecossistema que pode visitar entre a península do Ancão e a praia da Manta Rota, cerca de 60 km de litoral que se abrem e se estendem para o interior numa área de 18 mil hectares…

Para o explorar, aconselhamos fazê-lo a pé, pelos trilhos pedestres, ou em lentos passeios de barco, observando o sapal e a zona de água doce, os tanques de salga da época romana, a mata ou vendo de perto um moinho de maré.

Curioso?

De que está à espera para fazer-nos uma visita? Venha conhecer o melhor do Reino dos Algarves e fique instalado, com todo o conforto, numa das nossas propriedades. Não há nada como depois de uma aventura, poder regressar a um sítio onde possa relaxar e recontar os melhores momentos que experimentou.

De que está à espera? Contacte-nos e saiba mais sobre as nossas condições.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *